sem luz

      

noticias novo

Comitiva da Celesc percorre Meio Oeste e anuncia reforço no sistema elétrico da região

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, a diretora Financeira, Claudine Anchite, engenheiros e técnicos da Celesc estiveram reunidos com lideranças políticas e empresariais do Meio Oeste catarinense, na última semana, para apresentar um plano de ação para os problemas relacionados ao fornecimento de energia na região. Após a passagem do tornado na região, no último dia 28 de maio, que derrubou torres de transmissão, um grupo de trabalho da companhia, em parceria com o Governo do Estado, trabalhou em alternativas para reforçar o sistema elétrico no Meio Oeste. 

O estudo concluiu que a alternativa mais viável é a construção de duas novas linhas de 138 kV, ambas a partir da Subestação Videira Rede Básica. A primeira tem destino à Subestação Videira Celesc e a segunda será conectada na SE Caçador Castelhano. Desta forma, será formado um anel em 138 kV, viabilizando o atendimento das subestações por duas fontes. A Celesc está em processo de licenciamento ambiental para as obras. 

Outra informação importante foi o relato da audiência com o Ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, no mês de junho, em Brasília. O presidente Cleicio Martins e o governador Carlos Moisés solicitaram ao ministro urgência na entrega da linha de 230 kV da SE Abdon Batista até a SE Videira Rede Básica, a fim de existir recursividade para o atendimento à subestação da rede básica, hoje atendida apenas pelas linhas de 230kV da SE Campos Novos Eletrosul. Na reunião, o ministro assumiu o compromisso de acelerar a implantação de uma rede de redundância na região e a elaboração de um estudo para colocação de torres mais resistentes aos fenômenos climáticos que atingem o estado com frequência. 

Antes mesmo do evento climático, a Celesc já havia atuado junto à Empresa de Pesquisa Energética – EPE, e identificado a importância da implantação de uma obra adicional na Rede Básica (sistema de Transmissão > 230 kV) conectando a Subestação de Transmissão de Videira à Subestação de Transmissão de Abdon Batista. Em 20 de dezembro de 2019 foi realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, o Leilão de Transmissão Nº 04/2018. O certame negociou 16 lotes com empreendimentos localizados em diferentes estados da Federação, onde se destaca o lote 06, que envolvia o primeiro e segundo circuitos da LT Abdon Batista – Videira, em 230 kV, além das demais instalações necessárias ao funcionamento do empreendimento. A obra será realizada nos municípios catarinenses de Abdon Batista, Anita Garibaldi e Videira com investimentos previstos de R$ 135,8 milhões pela empresa vencedora do certame.  

"Além do compromisso de trabalhar para acelerar a obra na região, o ministro solicitou um relatório técnico para que possa encaminhar à Empresa de Pesquisa Energética (EPE), responsável pelo planejamento energético em todo o país, as especificidades das regiões de Santa Catarina, garantindo a redundância e o reforço necessários à qualidade e segurança da energia que atende o povo catarinense, disse o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. Segundo o presidente, o relatório vai ajudar também às empresas responsáveis pela transmissão de energia elétrica que atuam no estado. 

Em outra reunião, com a diretoria da ANEEL, o governador e o presidente da Celesc reforçaram a importância de observar os fenômenos climáticos que atingem Santa Catarina para garantir mais confiabilidade e qualidade na energia que chega ao consumidor. O diretor geral da ANEEL, André Pepitone, elogiou o trabalho da Celesc, que apresentou, em 2020, excelentes indicadores de duração e frequência de fornecimento de energia (DEC e FEC), e também assumiu o compromisso de trabalhar para acelerar a rede de redundância no meio oeste catarinense.  

Na viagem ao Meio Oeste, a comitiva da Celesc percorreu as cidades de Joaçaba, Tangará, Fraiburgo, Videira, Caçador e Treze Tílias. Além das reuniões com lideranças, o grupo visitou empresas da região para conhecer as demandas e os projetos locais. "Estamos acompanhando de perto o trabalho desenvolvido em todas as regiões de Santa Catarina. Entre 2019 e 2021, a companhia realizou investimentos no valor de 1,7 bilhão, sendo R$ 1,1 bilhão só no sistema de distribuição em todo o estado. Para a região do Meio Oeste, com crescimento expressivo no setor industrial, agropecuária e agricultura, os investimentos incluem a ampliação da Subestação Capinzal, a nova linha de distribuição Videira-Fraiburgo, novos alimentadores e aquisição de terreno para a construção da Subestação Treze Tílias. A subestação em Treze Tílias é uma solicitação antiga da população, esperada há mais de duas décadas", explicou o presidente da Celesc. 

 

Conheça os investimentos no sistema elétrico do Meio Oeste 

De janeiro de 2019 a junho de 2021, os investimentos no Meio Oeste somaram R$ 133,32 milhões (realizados e em andamento).  

Entre os destaques estão: 

A Nova linha de distribuição Videira–Fraiburgo já está em operação e foi concluída no início de 2021. Vai atender 23 mil unidades consumidoras da região e o investimento foi de R$ 22,5 milhões de reais. A obra beneficia moradores de Fraiburgo, Lebon Régis, Monte Carlo e Brunópolis. 

Aquisição de terreno para Construção da Subestação em Treze Tílias 138 kV. A obra terá seu início em 2022, com previsão de conclusão no primeiro semestre de 2023. A obra vai trazer segurança energética para a região. 

Ampliação da capacidade da Subestação Capinzal terá investimento de R$ 2,5 milhões. Conclusão da obra em agosto de 2021. 

Projetos de Eficiência Energética - Cerca de R$ 7,8 milhões 

Celesc Rural - Cerca de R$ 8,7 milhões 

Faxinal dos Guedes:  Ampliação PCH Celso Ramos - Situada no Rio Chapecozinho, município de Faxinal dos Guedes, construída em 1963, com 5,6 MW de potência instalada. Com a ampliação em mais 8,30 MW, passará a atuar com uma capacidade de 13,9 MW, energia suficiente para atender aproximadamente 85.000 unidades consumidoras residenciais. Investimento em torno de R$ 40 milhões. 

Usina SOLAR Concluída em maio último, a usina Celso Ramos Solar, instalada junto à PCH Celso Ramos, opera com 28 kWp de potência instalada. É classificada como microgeração, portanto a energia injetada na rede se transformará em créditos para a Celesc Geração em suas faturas de energia. Esta usina possibilitará tornar a Celesc Geração auto suficiente com relação à energia consumida em suas unidades consumidoras. Projeto Piloto da Celesc, nova modalidade de negócio. 

    

 

 

Texto: Comunicação Celesc